As 10 Cobras mais Venenosas do Brasil


As serpentes mais peçonhentas do Brasil estão distribuídas em 63 espécies. Elas se dividem em duas famílias: Elapidae e Viperidae.   Classificá-las em mais ou menos peçonhentas não é uma coisa simples e requer um amplo conhecimento das espécies e suas singularidades, exceto para os especialistas.

Por isto, comumente há diferenças entre as listas que estabelecem as 10 cobras mais venenosas do Brasil.

No entanto, as popularmente conhecidas como as 10 serpentes mais temidas em peçonha são:

micrurus-lemniscatus

http://cobrasvenenosas.com/micrurus-lemniscatus. Cobra Coral Verdadeira

Popularmente conhecidas como cobra-coral, coral ou coral verdadeira. Ocorrem no Brasil 32 espécies de Micrurus ssp e Leptomicrurus ssp. E são atribuídos a elas os acidentes Ofídicos denominados elapídicos.

Atualmente são conhecidas apenas 3 espécies de Leptomicrurus, encontradas exclusivamente na Amazônia. As Micrurus são 32 espécies ao todo e ocorrem em todo Brasil.

Apesar de serem as mais temidas e de difícil identificação, a porcentagem de acidentes pelos quais elas são responsáveis é entre 0,5 e 1% dos aci-dentes ofídicos ocorridos no Brasil.

As cobras corais verdadeiras possuem dentição proteróglifa, que consiste em dois dentes inoculadores de veneno, pequenos, não retráteis (fixos), localizados na parte anterior da maxilar superior.

O ângulo de abertura bucal da cobra coral é de aproximadamente 30° e numa cobra coral de 90 cm de comprimento, por exemplo, as presas inoculadoras de veneno alcançam apenas 2,5mm de comprimento.

As cobras corais, são serpentes de tamanho relativamente pequeno, possuem um colorido vivo e brilhante e, guardam dados intrigantes pelo fato de existirem dois tipos delas, com características bem semelhantes.

Elas são muito idênticas inclusive nas cores, o que torna muito mais difícil a sua identificação. Distinguir a cobra coral verdadeira da cobra falsa coral, não é uma tarefa fácil, sendo possível apenas através de observação minuciosa de suas presas.

Essa identificação somente é possível por meio de manuseio do animal. E isso só deve ser feito por pessoas treinadas e com preparo suficiente para executar tal manobra.

Características exclusivas das cobras corais As cobras corais, diferentes de outras cobras peçonhentas não dão botes, e por isso ao invés de picar suas vítimas, elas as mordem e através da mordida injetam o veneno. E são consideradas as mais venenosas entre as serpentes peçonhentas brasileiras.

Características que diferem a cobra coral verdadeira da falsa: A cobra coral verdadeira é peçonhenta. E pode causar a morte de uma pessoa em poucas horas, se não houver atendimento adequado e em tempo hábil. Seu veneno é poderosíssimo.

Ao sentir-se encurralada a coral verdadeira não foge, ela enrola-se e aguarda o desfecho da briga e o momento exato para injetar sua peçonha através da mordida.

Ao contrário das cobras corais verdadeiras, as falsas corais ao sentirem-se acuadas preferem fugir.

Algumas cobras falsas corais que possuem dentição áglifa não são peçonhentas. Podem morder e causar muita dor, porém não oferecendo risco de envenenamento.



No entanto, existem as falsas corais que possuem dentição opistóglifa. Ou seja, possuem dente inoculador de veneno, localizado na parte posterior do maxilar superior. Esta localização dificulta o contato dos dentes com a vítima. Porém, caso aconteça pode haver envenenamento.

Existem no Brasil 32 espécies diferentes de (Micrurus) cobras corais verdadeiras e 52 espécies de falsas-corais. Sendo assim, é humanamente impossível reconhecer todas essas espécies sem ter tido preparo anterior.

Sequência de anéis- é verdadeira ou Falsa?

No passado acreditava-se que uma forma rápida e simples de diferenciar a cobra coral verdadeira da falsa, era observando a sequência de anéis que cada uma delas apresentava no corpo.

Em muitos relatos: alguns especialistas, afirmavam que as cores vermelhas nas cobras corais peçonhentas não se juntavam às pretas. Essas duas cores eram separadas por uma terceira, que seria a cor branca ou amarela.

Atualmente com a infinidade de cobras corais, esta versão não é mais confirmada com 100% de certeza. Pois existem as cobras corais que possuem a sequência de anéis vermelhos e pretos ligados, no entanto, são falsas (não peçonhentas).

Porém existem às que possuem a sequência de anéis ligados e, nas mesmas cores e são peçonhentas. Exemplo: estas cobras coral a seguir é peçonhenta, e as cores vermelha e preta se unem. E esse é apenas um exemplo de muitos outros existentes.

Porém se você for mesmo uma pessoa esperta não acredite nesse mito. Vermelho com amarelo perto, fique mais esperto (a). Vermelho com preto ligado, tenha cuidados dobrados.

micrurus-altirostris-cobra-coral-verdadeira

http://cobrasvenenosas.com/micrurus-altirostris-cobra-coral-verdadeira

Às leptomicrurus collaris são cobras de tamanho geralmente pequeno. Se caracterizam pelo colorido brilhante e vistoso. Possui costumes fossoriais, isto é vive sob a terra. As corais verdadeiras são cobras ovíparas.

As características que as fazem as mais peçonhentas são: tipo de veneno neurotóxico que atinge o sistema nervoso causando dificuldades respiratórias e prejudicando o funcionamento do diafragma.

A vítima sente dormência no local da picada e pode morrer em poucas horas caso não seja socorrida rapidamente. Para um tratamento eficaz é usado o soro antielapídico intravenoso.

2- Cascavel (Crotalus durissus)

http://cobrasvenenosas.com/crotalus-durissus-cascavel

http://cobrasvenenosas.com/crotalus-durissus-cascavel

Às serpentes peçonhentas popularmente conhecidas como cascavel, boicininga e maracambóia estão presentes nos cerrados do Brasil central, nas regiões áridas e semi-áridas do Nordeste, nos campos e áreas abertas do Sul, Sudeste e Norte.

Elas são responsáveis por 7,7% dos acidentes ofídicos no Brasil. Entre os grupos causadores de acidentes, é o gênero que apresenta a maior taxa de letalidade com 1,8%. Na Amazônia, a cascavel está presente nas manchas de campos e cerrados. Atualmente são cinco subespécies registradas no Brasil.

(Crotalus durissus cascavella, Crotallus durissus collilineatus, Crotalus durissus marajoenis, Crotalus durissus ruruima e Crotalus durissus terrificus).

As cascavéis Podem atingir 1,6 m de comprimento. Possuem um chocalho na ponta da cauda, que aciona ao perceber a aproximação de uma pessoa ou animal. Tocando o guizo ou chocalho, ela dá um alerta procurando anunciar sua presença.

principais sintomas nas vítimas de Acidentes Crotálicos!

A ação neurotóxica é produzida pela crotóxina. A crotóxina é uma neurotoxina de ação pre-sináptica, que atua nas terminações nervosas, inibindo a liberação de acetilcolina.

Esta inibição é o principal responsável pelo bloqueio neuromuscular do qual decorrem as paralisias motoras apresentadas pelas vítimas das picadas dessas serpentes.

A ação miotóxica produz lesões de fibras musculares esqueléticas, com liberação de enzimas e mioglobina para o sangue, que são posteriormente excretadas pela urina.



Em estudos anteriores a mioglobina excretada na urina era apontada como hemoglobina, atribuindo-se ao veneno uma atividade hemolítica. No entanto estudos mais recentes não demonstraram a ocorrência de hemólise nos acidentes ofídicos com humanos.

A ação Coagulante decorre de atividade do tipo trombina que converte o fibrinogênio diretamente em fibrina. O consumo do fibrinogênio pode levar à incoagulabilidade sanguínea. E, geralmente as manifestações hemorrágicas quando presentes são discretas.

Os sintomas apresentados numa vítima de picada de uma cascavel são:

Edema discreto ou ausente, dor discreta ou ausente, parestesia, ptose palpebral, diplopia, visão turva, urina avermelhada ou marrom. Insuficiência respiratória aguda em casos graves.

Ocorre o aumento de tempo de coagulação sanguínea, e a vítima pode falecer por insuficiência renal aguda. As infecções secundárias por bactérias são pouco frequentes.

Suspeita-se que, nas famílias das cascavéis (Crotalus durissus ruruima), existam animais com veneno de coloração branca (ação neurotóxica, miotóxica e coagulante). Outro amarelo (ação proteolítica e hemorrágica).

A Cascavel é uma serpente cuja característica principal para o seu reconhecimento é o chocalho, formado por muitos guizos na ponta da cauda. Essa serpente tem seu habitat em áreas abertas como campos e cerrados.

Considerada como a 2ª mais peçonhenta das serpente Brasileiras, é uma das serpente que completa a lista das 10 mais peçonhentas do mundo.

3- Surucucu pico-de-jaca (Lachesis muta)

surucucu-pico-de-jaca-003

http://cobrasvenenosas.com/Surucucu pico-de-jaca

Os acidentes laquéticos são causados pela cobra surucucu pico de jaca. Considerada uma das maiores serpentes venenosas do mundo. Pode ultrapassar os 4 metros de comprimento, e suas presas podem chegar a 2,5 cm ou mais.

A surucucu-pico-de-jaca é a maior serpente peçonhenta das Américas. No Brasil, ocorre na Amazônia, na Mata Atlântica e no Rio de Janeiro. Os nomes populares dessa cobra dependem de região. São chamadas: Surucucu-pico-de-jaca. Pico-de-jaca, Bico-de-jaca, Surucucu-cospe-fogo, Surucucu-apaga-fogo, surucutinga, entre outros nomes atribuídos a ela.

Existe estado Brasileiro, em que a surucucu é chamada de cascavel por algumas pessoas. Essa troca de nome da serpente pode causar confusão nas informações do paciente ao profissional da saúde, induzindo-o a errar no seu diagnóstico.

Os sintomas dos acidentes laquéticos são semelhantes aos acidentes causados pelas jararacas (Botrópicos). Com dor, edema e equimose que podem progredir para todo o membro afetado. Também pode ocorrer formação de bolhas, gengivorragia e hematúria.

Os acidentes laquetícos, diferem dos acidentes botrópicos devido ao quadro neurotóxico, que não são apresentados nos acidentes os quais as jararacas se envolvem.

Já os sintomas dos acidentes laquéticos são: bradicardia, hipotensão arterial (Pressão sanguínea baixa), sudorese, vômitos, náuseas, cólicas abdominais e diarréia. A vítima poderá falecer por insuficiência renal aguda.

beruby - lhe devolvemos dinheiro pelas suas compras online

É um veneno perigoso e letal. Em casos de picada a vítima deve ser levada para socorro médico imediato. Para o tratamento é usado o soro
antilaquético/antibotrópico laquético.

4-(Bothrops Neuwiedi)

bothrops-neuwiedi-jararaca-boca-de-sapo

http://cobrasvenenosas.com/Bothrops Neuwiedi, Jararaca pintada. Jararaca verdadeira, Boca de Sapo.

A bothrops Neuwiedi assim como as outras jararacas, são extremamente venenosa. Essa espécie de serpentes fazem parte da família Viperidae. No Brasil pode ser encontrada nos Estados de Rondônia, Pará, Amazonas, Mato Grosso entre outros estados do território nacional.

É uma das serpentes mais perigosa da espécie. Seu veneno atua de forma proteolítica, causando diversos sintomas como exemplo: náusea, vômitos, hematoma local, falência dos rins e hemorragia intracraniana. O soro usado para tratamento é o antibotrópico.

5- Jararacuçu (Bothrops jararacuçu)

bothrops-jararacussu

http://cobrasvenenosas.com/bothrops-jararacussu

A Jararacuçu é uma cobra bastante perigosa. Em uma só picada ela é capaz de injetar grande quantidade de toxina. O veneno inoculado tem o poder de causar grande dano como exemplo: Hemorragia, edema local, além de destruir os tecidos e causar sérias complicações.

Estas cobras são encontradas geralmente em florestas, por isto elas têm menos contato com as pessoas e a ocorrência de acidentes causados por elas é menor. Mas nem por isso, deixa de ser de alta periculosidade. O soro usado para tratamento é o antibotrópico

6-  Caiçaca (Bothrops moojeni)

bothrops_moojeni

http://cobrasvenenosas.com/bothrops_moojeni. Caissaca

Esta cobra apresenta grande semelhança com a jararaca. Vive em regiões de todo o Brasil, com exceção da região Norte.

Vista pelo seu alto grau de periculosidade e toxina, não é atoa que esta serpente ocupa a 6ª posição como uma das mais temida entre as serpente peçonhenta Brasileiras. Seu veneno é muito perigoso e com certeza letal, em caso de demora no atendimento.

A inoculação do veneno da caiçaca, causa necrose nos músculos, dores, inchaço local e hemorragia. Em caso de picada desta cobra é muito importante a aplicação do soro em menos de 4 horas. O soro usado para tratamento é o antibotrópico.

7- Cobra Cotiara – (Bothrops fonsecai)

cobra-cotiara

http://cobrasvenenosas.com/cobra-cotiara

Esta cobra mede em torno de 90 centímetros. É muito peçonhenta. Ela habita a região Sudeste sendo encontrada no sul do Rio de Janeiro e sul de Minas e nordeste de São Paulo. Em caso de acidente é preciso que a vítima seja medicada com o soro em menos de 4 horas para evitar complicações mais graves.

Esta serpente ocupa a 7ª colocação em peçonha. Tem o tamanho relativamente pequeno considerando com outras cobras da sua família.
A prova da sua periculosidade já é mostrada na posição que ocupa no hanking das peçonhentas Brasileiras.

Seu veneno é necrosante e hemorrágico. Em caso de acidentes com esta cobra, o soro utilizado deve ser o anti-botrópico.

8- Urutu cruzeiro (Bothrops Alternus)

bothrops-alternatus

http://cobrasvenenosas.com/bothrops-alternatus

Vista como a 8ª cobra + temida das peçonhentas Brasileiras. A bothrops alternatus Possui um veneno de alta toxicidade. É uma das cobras mais peçonhenta do Brasil.

Possui presas solenóglifa. Isso já indica que a dentição da urutu é dotada com orifício central como nas agulha de seringa para injetar em suas vítimas o veneno que é produzido pelas glândulas.


A expectativa de vida desta cobra gira em torno de 20 anos. É uma cobra agressiva quando se sente ameaçada. É dotada de grande rapidez no bote. Característica que impede que suas presas escapem. Pode chegar até a um (1,50) metro e meio.

Seu veneno é necrosante, hemorrágico e coagulante. Essa serpente se alimenta principalmente de pequenos roedores. A reprodução da urutu é vivípara – não põe ovos, os filhotes já nascem prontos.

Em suas ninhadas nascem de 10 a 15 filhotes de cada vez. Tem hábito noturno. As urutus vivem nos cerrados e banhados do sul do Brasil, do Paraguai, Uruguai e Argentina. O soro usado para combater o veneno da urutu é o anti-botrópico.

9- A jararaca-verde (Bothrops bilineatus)

bothrops-bilineatus. Jararaca Verde

http://cobrasvenenosas.com/bothrops-bilineatus. Jararaca Verde

É uma cobra com alto poder em seu veneno. Sua toxina é semelhante à da jararaca. É uma cobra arborícola, isto é mora nas árvores.

Ela faz excelente camuflagem pois sua pele é completamente verde. Para os seres humanos seu ataque pode ser fatal pois ela ataca sempre a cabeça ou o pescoço.

10- Jararaca-de-alcatrazes (Bothrops alcatraz)

Bothrops-alcatraz-jararaca

http://cobrasvenenosas.com/Bothrops-alcatraz-jararaca

Esta cobra foi encontrada pela primeira vez em uma ilha de nome Alcatrazes no litoral de São Paulo ao Norte. Em questão de veneno é semelhante à jararaca. Conforme fontes de pesquisas ela está entre as serpentes mais peçonhentas do Brasil.

As jararacas de alcatrazes são extremamente peçonhentas e perigosas à saúde humana. Em pesquisas feitas recentemente, as mesmas, devido a degradação do seu habitat natural, estão correndo sérios riscos de extinção. A coloração e tamanho desta serpente pode se alterar.

Caso você ache estas informações interessante, curta e deixe seu comentário.

Um abraço! Batista


beruby - lhe devolvemos dinheiro pelas suas compras online

Tenho Certeza que alguém do seu círculo de amizades já curtiram ou, compartilharam esse conteúdo. Por isso, creio que você irá curtir ou compartilhar também.

72 thoughts on “As 10 Cobras mais Venenosas do Brasil”

      1. MUITO BOM SABER TUDO SOBRE ESSAS COBRAS, GOSTO MUITO DE COBRAS E AS VEZES ME AVENTURO EM PEGAR ALGUMAS, MAS NAO SABIA QUE A CORAL ERA A MAIS VENENOSA DO BRASIL JA PEGUEI VARIAS

        1. Marlon, se você não tem treinamento específicos nesta área, não é aconselhável executar estas manobras por curiosidade! A propósito, leia o artigo, Como distinguir a cobra coral verdadeira da falsa e verá mais detalhes.

          Um abraço! Batista

          1. EU SOU APAIXONADO POR COBRAS , JA PEGUEI EM VARIAS, TANTO VENENOSA QNT CONSTRITORAS, JA PEGUEI UMA GIBOIA DE QUASE 3,5 FIQUEI COM MAIS MEDO DELA Q AS VENENOSAS, MAIS EU SEMPRE TENHO MUITO CUIDADO , GERALMENTE EU PEGO ELAS POR INVADIR AS CASAS, AI EU LEVO PRA MATA QUE É BEM PERTO DO BAIRRO
            NAO GOSTO DE VER ALGUEM MATAR UMA COBRA .
            MSM ASSIM MUITO OBRIGADO PELO CONSELHO

          2. Na verdade eu também não gosto de ver mata-las não! Mas também sou muito precavido, principalmente, com às peçonhentas! Um grande abraço e muito cuidado nas suas aventuras!

            Batista

    1. Olá Jônatas. Obrigado pela sua visita e o elogio. E pode ter certeza que, assim que você voltar fazer nova visita, já teremos alguma novidade.

      Um abraço, Batista

        1. Olá Marlon. Obrigado pela sua visita ao site e espero que você volte mais vezes. Marlon, diferenciar a cobra coral verdadeira da falsa coral não é uma tarefa fácil, sendo possível apenas através de observação minuciosa de suas presas.

          As cobras corais verdadeiras possuem dentição proteróglifa, que consiste em dois dentes pequenos, inoculadores de veneno, não retráteis (fixos), localizados na parte anterior da maxilar superior.

          As cobras falsas corais que possuem dentição áglifa não são peçonhentas. Podem morder e causar muita dor, porém não oferecendo risco de envenenamento.
          No entanto, existem as falsas corais que possuem dentição opistóglifa. Ou seja, possuem dente inoculador de veneno, localizado na parte posterior da maxilar superior.

          Porém esta localização do dente na boca da serpente dificulta o contato com quem as manipula. Mas em caso de vacilo ou imperícia do manipulador pode acontecer o acidente e haverá também o envenenamento.
          Exceto para um especialista, que, baseando-se em alguns detalhes consegue diferencia-las sem muita dificuldade.

          Para uma pessoa leiga ou sem muito conhecimento, esta identificação somente é possível por meio de manuseio do animal. O que só deve ser feito por pessoas treinadas e com preparo suficiente para executar tal manobra. Arriscar fazer esta identificação na base da loteria, não é nem um pouco aconselhável tentar a sorte nesse sentido!

          Espero ter esclarecido às suas dúvidas ou curiosidade!

          Um grande abraço! Batista

    1. Olá Diogenes. Obrigado pela sua visita. É bem feita a sua colocação em ambos os sentidos. Porém, por meio de pesquisas sabe-se que a peçonha da jararaca ilhoa é mais potente que as jararacas comuns. algumas pessoas se arriscam dizer que é 5 vezes mais potente.

      mas ainda não existem dados científicos conclusivos que comprove esse fato. E por isso não consta naquela relação das dez serpentes mais peçonhenta do Brasil, mas já estou criando um artigo exclusivo falando praticamente da jararaca ilhoa.

      Quanto a serpente peçonhenta maior que existe, você está certo em dizer que a maior de todas é a cobra Real ou King cobra como também é conhecida. Porém o post relata a Surucucu pico de jaca, como a maior serpente peçonhenta encontrada no brasil.

      Um grande abraço! Batista

      1. Obrigado Batista pelos esclarecimentos!! Parabéns ao blog que pelo que pesquisei, e quase o único sobre nossas lindas serpentes!! Continue o Trabalho!! Pode ter certeza que estaremos sempre aqui curtindo!! Abraços!!

        1. Valeu Diógenes. Fico feliz pelo incentivo e pode ter certeza que, assim que você voltar fazer outra visita ao blog, já estarei com o post sobre a jararaca ilhoa pronto.

          Um grande abraço meu amigo! Batista

  1. Gostaria de te enviar uma foto de uma cobra que encontrei aqui no oeste de sc para melhor identifica-la. E se possível compartilhar com os visitantes do site. Obrigado

    1. Oi jairo. Obrigado pela sua visita. Pode enviar sim, se for uma serpente conhecida te respondo assim que eu puder! se for uma espécie que ainda não é de conhecimento popular, terei que pesquisar e te responder logo que possível.

      Um abraço, Batista

      1. Também gostaria de enviar uma foto de uma cobra que encontrei aqui na porta de casa hoje. Algumas pessoas disseram ser a jaracuçu preta. Porém pesquisando, achei ela bem parecida com a muçurana.

        1. Olá Marcelo tudo bem? pode mandar a foto que assim que eu puder faço a identificação e te direi a espécie. Mas de anti-mão, vou colocar seu nome na minha lista e te enviar um link pra você fazer o download do e-book Peçonhentas Brasileiras.

          E quem sabe de repente você mesmo pode estar fazendo esta identificação.

          Um abraço! Batista

          Baixe o e-book no link abaixo.

          Peçonhentas Brasileiras. Ebk..pdf

    1. Hola Batista, gostaria de saber se um dia uma cobra picar, tenho que saber qual cobra me picou? Senão não identificam o tipo de soro? E se não ver a cobra que mordeu?

      1. Olá Salen silva. O diagnóstico de certeza do acidente ofídico deve ser feito pela identificação da serpente. Se isto não for possível, o profissional que for prestar o atendimento, deve orientar-se pelo quadro clínico apresentado pelo paciente.

        Porém algumas pessoas que são picadas por cobras ou imaginam que tenham sido, podem apresentar sintomas e sinais de picada de serpente mesmo quando não foram picadas e nenhum veneno foi injetado. Isto acontece pelo temor que muita gente tem das cobras em função das conseqüências de uma picadas de uma serpente peçonhenta.

        Algumas pessoas ansiosas podem ter ataques de pânico e apresentar sintomas característicos de um envenenamento como: sensação de estar flutuando, tontura, dores no peito, formigamento na ponta dos dedos e ao redor da boca). Outros podem suspeitar que foi mordida – e ter um colapso e desmaiar. Outros podem tornar-se muito agitados e irracionais e podem desenvolver uma vasta gama de sintomas enganosos.

        Outras podem ter Ingerido remédios de ervas e causar vômitos. Entre muitos outros sintomas. Por isso, o diagnóstico mais seguro é feito perante a apresentação da serpente causadora do acidente. Mas isso não quer dizer que uma pessoa que foi picada, e não apresente a serpente não se salve.

        Existem profissionais experientes que sabem lidar com esse tipo de situação, mesmo a serpente causadora não sendo apresentada. Um grande abraço e muito obrigado pela sua visita. Batista

    1. Olá Filipe. Obrigado pela sua visita e Fico feliz que pude contribuir em parte com seu estudo. Espero que se você precisar novamente, eu já possa ter postado algo importante para contribuir novamente.

      Um grande abraço! Batista

  2. gostei muito das informaçoes desse site.meu cachorro foi picado (de novo!) por uma cobra e nao sabemos de qual especie, nao temos condiçoes de leva-lo a um veterinario. somos agricultures e convivemos diariamente com cobras venenosas.
    obrigada pela ajuda.

    1. Oi Tatianna. Obrigado pela sua visita. Fico feliz em poder ter ajudado. Escrevi um e-book sobre cobras e a minha intenção é colocar a venda, mas caso seja do seu interesse posso disponibilizar um exemplar pra você se informar melhor sobre esse assunto.

      Após clicar no link Peçonhentas Brasileiras. vai abrir o e-book na tela do seu computador. Navegue com o mouse do seu computador no topo do livro em direção ao seu lado direito até encontrar uma seta apontada para baixo. Clique em cima da seta que o e-book baixa para o seu computador. Espero te ajudar.

      Um grande abraço! Batista

  3. Encontramos uma novilha morta represento muito inchaço e sangramento acreditamos que tenha sido acidente com cobra. na região encontra cascavel, jararaca, coral as mais peçonhentas. Sera que possa ter sido acidente com algumas dessas cobras?

    1. Olá Romildo. Obrigado pela sua visita. Assim à distância, é muito difícil te dar uma resposta concreta. Mas como você diz que ai ocorrem essas espécies, é bem provável que tenha sido uma dessas serpentes, exceto a cobra coral verdadeira. Pela sua descrição não tem característica de esse ser um acidente elápidico (cobra coral verdadeira).

      Pelo fato de as mesmas não darem botes. Numa pessoa ou animal elas só mordem se for pisoteada e, geralmente é na região do pé, sendo num acidente no campo. Também possuem presas inoculadoras de peçonha muito pequenas. Por tanto, às características desse acidente o qual você aborda não é de um acidentes elapídicos (cobra coral verdadeira), sendo ele com hemorragia e hematomas.

      Às corais verdadeiras, possuem veneno neurotóxico que atinge o sistema nervoso causando dificuldades respiratórias e prejudica o funcionamento do diafragma. A vítima sente dormência no local da picada e pode morrer em poucas horas caso não seja socorrida rapidamente. Para um tratamento eficaz em pessoas, é usado o soro antielapídico intravenoso.

      As características do acidente citadas por você, pode ser causado por uma Jararaca. O veneno da Bothrops (Jararaca) atua de forma proteolítica, causando em pessoas, diversos sintomas como exemplo: náusea, vômitos, hematoma local, falência dos rins e hemorragia intracraniana. O soro usado para tratamento é o antibotrópico.

      Com hematomas e hemorragia, pela sua descrição esse acidente parece ser Botrópico (jararaca).
      Os sintomas apresentados numa vítima de picada de uma cascavel são: Edema discreto ou ausente, dor discreta ou ausente, parestesia, ptose palpebral, diplopia, visão turva, urina avermelhada ou marrom. Insuficiência respiratória aguda em casos graves.

      Ocorre o aumento de tempo de coagulação sanguínea, e a vítima pode falecer por insuficiência renal aguda. As infecções secundárias por bactérias são pouco frequentes.

      Vale a pena lembrar que este sintomas os quais citei, são para acidentes ofídicos com pessoas. Assim como também pode valer para os animais. Porém, você também pode fazer as averiguações de qual tipo de acidente é, caso o animal ainda dê condições de fazer essa vistoria. A picada da jararaca ou cascavel, em pessoas, estando ela na terra, geralmente ocorrem na região das coixas para baixo e anti-braço.

      No caso de um animal de maior porte, como é o caso de uma novilha: estando a cobra em terra, a picada pode ocorrer na região das patas dianteiras ou trazeiras e na barriga. E são capazes de desferir várias picadas.

      Uma dica: se ainda houver condições para isso, verifique no corpo do animal onde existir algum resto de sangue coagulado se apresenta alguma perfuração. No caso do acidente Botrópico ou Crotálico às perfurações geralmente são profundas. E para maiores esclarecimentos aconselho você consultar um veterinário.

      Espero ter te ajudado.

      Um grande abraço! Batista
      .

      A propósito: escrevi um e-book sobre acidentes ofídicos. Caso seja do seu interesse adquirir um exemplar, faça o download nesse link abaixo.

      http://bit.ly/2akVB7n

    1. Valeu Bruna! Obrigado pela visita. Sem ver pelo menos a foto da serpente, não posso dizer que ele correu o risco de um envenenamento. Não sei se é do seu conhecimento, mas existem dois tipos de corais.

      Às falsas corais podem picar e causar dor, vermelhidão local e sangramento no local da picada. Porém sem nenhum risco de envenenamento. Por outro lado: A picada das corais verdadeiras tem consequências devastadoras e, a depender do tempo que se leve para receber atendimento a pessoa pode vir a falecer. As características que as fazem as mais peçonhentas são:

      tipo de veneno neurotóxico que atinge o sistema nervoso causando dificuldades respiratórias e prejudicando o funcionamento do diafragma. A vítima sente dormência no local da picada e pode morrer em poucas horas caso não seja socorrida rapidamente. Para um tratamento eficaz é usado o soro antielapídico intravenoso.

      Graças a Deus, ele pisou na cabeça da serpente. Pois se pisa no meio dela ou numa parte do corpo que desse uma distância para a serpente se virar em direção o pé ou a perna dele, a cobra teria mordido e as consequências talvez, não fosse nada agradável. Um abraço! Batista

  4. Boa madrugada, Batista! Gostei muito de sua publicação, parabéns!
    Sou professor de literatura, mas sempre fui fascinado pela zoologia, mais especificamente a ofiologia (não sei se este termo tem embasamento científico) e tenho algumas dúvidas. Se você puder saná-las, ficarei agradecido. Aguardo resposta. Obs: já baixei seu e book.

    1. Olá Ruan. Você não está errado não. Entomologista é quem estuda insetos, peçonhentos ou não. Herpetologista estuda os répteis, peçonhentos ou não.

      Ofidiologista estuda os ofídios, ou seja, cobras, serpentes, peçonhentas ou não. Agora a respeito dos profissionais acima, todos podem ser, ou não, toxologistas ou infectologistas.

      Ciência que lida com o estudo de serpentes chamados serpentologiya.A palavra vem das palavras latinas serpente – a serpente, logos – ciência.

      Serpentologiya é seção de herpetologia, que estuda répteis e anfíbios.

      A herpetologia, por sua vez, é um ramo da zoologia – a ciência dos animais.

      Para estudar cobras especialista – serpentólogo e local de cobras de reprodução – Serpentário.

      Portanto, o termo ofiologia é correto. Um grande abraço! Batista

      1. Agora vamos a minha dúvida kk Certa vez, mais precisamente quando eu tinha 10 anos, encontrei uma cobra, já sem vida (pelo jeito foi atropelada por um carro), mas o que me chamou a atenção foi sua cor: era listrada e suas cores eram preto e dourado. Até hoje não sei que espécie era. Achei muito parecida com uma krait malasiana (http://fatosemisteriios.blogspot.com.br/2014/05/a-cobra-krait-malasiana.html), mas sei que é impossível vê-la em minha região, pois moro na serra catarinense. Questionei até professores universitários de biologia, mas ninguém soube me responder. Falaram também que minha descrição era muito vaga, o que concordo porque aconteceu há muito tempo. Se puder me ajudar nisto, ficarei muito agradecido. Obs: algumas pessoas me falaram que era uma variação de uma cobra coral, mas não acredito muito nisto, visto que cobras corais tanto falsas como verdadeiras são finas e de pequeno porte. Essa era grossa e devia ter no mínimo uns 100 cm. Desde já, muito obrigado!

        1. Olá Ruan, obrigado pela sua visita. Infelizmente não vou poder também solucionar sua dúvida. Não sei se foi o seu caso, até porque como diz você no comentário a cobra já estava sem vida. Não havia nenhum motivo para você estar em pânico.

          Mas levando em conta a sua idade da época e o fato de uma pessoa quando está assustada transformar objetos ou bichos de cor e tamanho que não é o real, pode ter acontecido com você. Ou, também não descarto a possibilidade de ser uma espécie ainda não conhecida.

          Mas pela sua descrição, você pode ter visto uma filhote de sucuri ou uma caninana. Também conhecida como papa-pinto. Sinto muito por não poder sanar suas dúvidas.

          Um abraço! Batista

    1. Valeu Diego. Obrigado pela sua visita e fico feliz pelo seu elogio!Espero que você volte mais vezes e sempre encontre no blog algo interessante postado que possa tirar dúvidas e enriquecer os conhecimentos que já possui. Um grande abraço! Batista

  5. Boa tarde Batista! Que ótima matéria sobre as serpentes venenosas.
    Semana passada apareceu uma cobra no meu sítio. O caseiro chegou a matá-la, porém, nem com ajuda de dois veterinários locais conseguimos identificar a espécie. Queríamos descobrir pois ficamos preocupados se pode ser muito venenosa.
    Queria saber se há algum e-mail que eu possa enviar as fotos da cobra pra você para o senhor ver se consegue identificá-la.
    Obrigado!

    1. Boa noite Ilacy Simoes. Obrigado pela sua visita ao site e fico feliz por você ter gostado. Quanto a serpente a qual você citou no seu comentário: se dois veterinários não a identificou, creio que seja alguma espécie rara ou ainda pouco conhecida. Mas mande as fotos que vou ver o que posso fazer para identifica-la.

      Escrevi recentemente um e-book sobre serpentes peçonhentas, que está disponível para todos assinantes do blog. Faça sua inscrição e receba gratuitamente em seu e-mail. À inscrição pode ser feita no formulário de contato que aparece assim que você acessa o site. E nas páginas pegue aqui seu e-book grátis e, na página contato.

      Se por um acaso o link para baixar o e-book não abrir, mande-me um e-mail que envio o link original pra você!

      Um grande abraço! Batista

    2. Boa noite Ilacy Simoes. Obrigado pela sua visita ao site e fico feliz por você ter gostado. Quanto a serpente a qual você citou no seu comentário: se dois veterinários não a identificou, creio que seja alguma espécie rara ou ainda pouco conhecida. Mas mande as fotos que vou ver o que posso fazer para identifica-la.

      Escrevi recentemente um e-book sobre serpentes peçonhentas, que está disponível para todos assinantes do blog. Faça sua inscrição e receba gratuitamente em seu e-mail. À inscrição pode ser feita no formulário de contato que aparece assim que você acessa o site. E nas páginas pegue aqui seu e-book grátis e, na página contato.

      Se por um acaso o link para baixar o e-book não abrir, mande-me um e-mail que envio o link original pra você!

      Um grande abraço! Batista

    1. Olá Luan, obrigado pela sua visita ao blog. Luan, sem pelo menos ver a foto da serpente não posso te dizer se é uma Jararaca ou, uma espécie de cobra não peçonhenta. Porém se tratando de Jararaca, todas elas são peçonhentas e altamente perigosas.

      Um grande abraço! Batista

  6. Boa tarde Batista, sensacional a materia que fez sobre as cobras, sou veterinário e me ajudou a lembrar e reconhecer as espécies existente, adorei mesmo, continue fazendo essas matérias e ajudando a preservar esses animais q por falta de conhecimento são mortos atoa e pelos seres humanos que invadem seu ambiente um forte abraço amigo…fique com Deus e continue assim…

    1. Olá Gabriel, boa tarde. Obrigado pela sua visita e pelo elogio. São os reconhecimentos de pessoas igual a você que incentiva a continuação do trabalho. Sou grato pela sua visita e seu reconhecimento.

      Um grande abraço! Batista

    1. Olá Celio, o brigado pela sua visita. É cientificamente comprovado que as (Micrurus) cobra coral verdadeira, pelo teor da sua peçonha e como seu veneno age no corpo de suas vítimas é mais venenosa que a cascavel.

      Porém, a desvantagem da cobra coral perante a cascavel, é que às corais não dão botes. É exatamente o que faz a cascavel levar vantagem e ser mais perigosa pelo seu bote certeiro e rápido. Porém seu veneno é menos potente que os das corais.

      Um grande abraço! Batista

    1. Olá Márcio, os meus sinceros agradecimento pela visita ao site. Quanto à reprodução da cascavel, chama-se de ovovivípara – uma mistura de ovípara e vivípara. Pois os filhotes nascem de ovos, mas somente depois de terem completado seu desenvolvimento, por cerca de 6 meses, no interior da fêmea.

      Terminando o período de gestação, portanto, nascem de 16 e 24 filhotes.

      Um grande abraço! Batista

  7. Batista tudo de ofidismo me interessa, desde menino que leio com interesse qualquer assunto sobre cobras e você foi o mais esclarecido que li no assunto, é nobre seu trabalho gostei muito ,E lerei qualquer artigo seu que encontrar. felicidade e proguesso amigo , Canário branco o <>

    1. Olá Canário, Obrigado pela sua visita ao site. Fico muito feliz com o elogio. Espero que você volte a visitar o site mais vezes, e encontre sempre conteúdo novos e de qualidade.

      À proposito, escrevi um e-book sobre o assunto. Visite o site e faça a inscrição. Assim que você confirmar em seu e-mail, abre uma página com o e-book para ser feito o download.

      Um grande abraço! Batista

    1. Olá Henricco, obrigado pela visita. À cobra coral não oferece mais risco que outras cobras, pelo fato de ela não dar bote. Mas, o seu veneno é o mais letal de todas as cobras Peçonhentas Brasileiras.

      Sem levar em conta que é a mais difícil de ser identificada entre as peçonhentas ou não peçonhentas, pelo fato de existir dois tipos delas e a verdadeira não possuir a fosseta loreal, que é o órgão identificador que dar 100% de certeza se a cobra é peçonhenta ou não.

      Espero ter esclarecido a sua dúvida. Um grande abraço! Batista

    1. Olá Fábio, obrigado pela sua visita ao meu site. Fábio, no site cobras venenosas postei vários artigos com dicas de como se proteger contra picadas de cobras, e como procurar ao máximo mante-las distantes da sua residência.

      Porém, volte ao site, e leia mais alguns artigos que tenho certeza que, encontrará vária instruções e respostas para suas perguntas. Caso você precise de instruções em um só lugar sem ter que perder tempo procurando.

      Escrevi um e-book detalhado sobre o assunto, e já está à venda na plataforma hotmart e pagseguro, ao preço de R$ 25.00. E você acessa a página de venda no topo do site cobras venenosas.

      Um grande abraço! Batista

    1. Valeu Jose. Obrigado pela sua visita, mas não basta ser somente curioso. Sendo você uma pessoa que tem curiosidade pelo assunto: Creio que deve querer aprender mais. Neste caso deve visitar mais o cobras venenosas e outros sites, ou, adquirir livros digitais ou físicos.

      Um grande abraço! Batista

  8. Parabéns Batista, muito interessante e instrutiva sua matéria. Talvez vc possa me esclarecer sobre uma cobra a qual encontrávamos muito em um sítio no qual morávamos, aqui na região de Uberaba MG. Era de cor negra, cerca de dois metros de comprimento, muito agressiva, o pessoal dá região a chamava de capitão de campo.

    1. Olá Pedro. Obrigado pela visita e minhas sinceras desculpas pela demora de resposta. É que o seu comentário foi enviado pelo sistema para o SPAM (lixo eletrônico). Pedro, a cobra a qual você se refere é uma phylodrias nattereri. Também conhecida como capitão de campo ou, corre campo.

      As Philodryas possuem presas opistóglifas, ou seja, são dotadas de dente inoculador de veneno na região posterior da boca. Porém, apesar de ser difícil a inoculação, elas abrem bastante a boca e quando mordem quase sempre acontece o envenenando. E são extremamente agressivas. Espero ter esclarecido as suas dúvidas.

      Um grande abraço! Batista

Seja Bem vindo (a). Por favor, se você achou alguma das postagens interessante, deixe seu comentário. E não esqueça de curtir e compartilhar para que mais pessoas conheça esse trabalho.